Pular para o conteúdo
Receba nossas notícias em seu e-mail:

Erros no cálculo da rescisão: como evitar e corrigir

Leia o nosso artigo e saiba como evitar erros e corrigir o cálculo da rescisão com algumas dicas fundamentais. Confira!
cálculo rescisão de contrato

Você já se deparou com erros no cálculo da rescisão e ficou sem saber o que fazer? 

Entender como fazer o cálculo da rescisão é crucial para garantir que as relações trabalhistas se encerrem de maneira justa e legal tanto para o empregador quanto para o empregado. 

A rescisão de contrato de trabalho envolve diversos aspectos financeiros e legais, e erros nesse processo podem resultar em prejuízos financeiros, litígios trabalhistas e impactos negativos na reputação da empresa.

Mas não se preocupe! Neste artigo, você aprenderá como evitar erros e corrigir o cálculo da rescisão com algumas dicas fundamentais. Confira!

O que é uma rescisão contratual?

A rescisão contratual refere-se à finalização ou encerramento de um contrato de trabalho entre um empregado e um empregador. 

Esse processo pode ocorrer por diversas razões e está sujeito a normas e regulamentações específicas. 

A rescisão pode ser iniciada tanto pelo empregado quanto pelo empregador, e as circunstâncias desse encerramento podem variar.

Quais os tipos de rescisão de contrato trabalhista?

Existem diferentes tipos de rescisão de contrato de trabalho, e cada um deles ocorre em situações específicas, determinadas pelas partes envolvidas ou por circunstâncias previstas em lei. Aqui estão alguns dos principais tipos de rescisão de contrato trabalhista:

Rescisão por Pedido de Dispensa (Demissão sem Justa Causa)

Ocorre quando o empregado solicita a demissão ou quando o empregador decide dispensar o trabalhador sem justificativa legal. Nesse caso, são devidas as verbas rescisórias, como aviso-prévio, férias proporcionais, 13º salário proporcional e FGTS.

Rescisão por Justa Causa

Quando o empregador decide rescindir o contrato por falta grave do empregado, conforme previsto na legislação trabalhista. Nesse caso, o trabalhador não tem direito a diversas verbas rescisórias, como aviso-prévio e férias proporcionais.

Rescisão por Acordo entre as Partes (Dispensa Consensual)

Ocorre quando empregador e empregado decidem, de comum acordo, encerrar o contrato de trabalho. Nesse caso, há uma redução das verbas rescisórias devidas, como metade do aviso prévio e do valor da multa do FGTS.

Rescisão por Término de Contrato por Prazo Determinado

Quando o contrato de trabalho é firmado por prazo determinado e chega ao fim sem ser renovado. Nesse caso, as verbas rescisórias são devidas de acordo com o tempo de serviço.

Rescisão por Culpa Recíproca

Ocorre quando ambas as partes (empregador e empregado) contribuem para o término do contrato por atos faltosos. As verbas rescisórias são devidas, mas podem sofrer redução.

Rescisão por Mútuo Acordo com Saque do FGTS e Recebimento do Seguro-Desemprego (Nova Modalidade):

Em casos de rescisão por mútuo acordo, o empregado pode sacar até 80% do valor do FGTS e receber uma porcentagem do seguro-desemprego, conforme a nova modalidade criada pela Reforma Trabalhista.

Rescisão por Falecimento do Empregado

Quando o empregado falece, o contrato de trabalho é rescindido, e os herdeiros têm direito às verbas rescisórias.

Rescisão por Força Maior ou Extinção da Empresa

Ocorre quando há uma causa imprevisível e inevitável que impossibilita a continuidade do contrato de trabalho, como catástrofes naturais. Nesse caso, o empregador pode rescindir o contrato sem o pagamento de algumas verbas rescisórias.

Dicas para evitar erros no cálculo da rescisão e corrigi-los

1 – Para evitar erros, mantenha-se atualizado sobre a legislação trabalhista e suas constantes mudanças. Isso ajuda a garantir que você esteja aplicando as regras corretas na hora do cálculo.

2 – Organize e confira todas as informações do colaborador, como salário, tempo de serviço, férias e afastamentos. Esses dados são essenciais para um cálculo preciso da rescisão.

3 – Caso encontre erros, identifique as causas e corrija-os imediatamente. Refaça o cálculo e verifique novamente os valores antes de efetuar o pagamento ao colaborador.

4 – Implemente um sistema de auditoria interna para revisar periodicamente os cálculos das rescisões. Dessa forma, você pode identificar possíveis inconsistências e corrigi-las antes que se tornem problemas maiores.

5 – Por fim, invista em treinamentos e capacitação para sua equipe. O conhecimento é a chave para prevenir erros e garantir rescisões corretas e justas.

Gostou do artigo?

Então, continue acompanhando o nosso blog, trazemos muitas informações, que te ajudam a tirar todas as suas dúvidas sobre as áreas de RH, Departamento Pessoal e Contabilidade, processos relacionados ao eSocial, além de novidades e as últimas notícias do setor.

Já conhece os cursos da Nitflix?

Clique aqui e conheça todos os cursos disponíveis no Nithflix!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale com a Nith
Olá, como podemos te ajudar?
x